segunda-feira, 3 de novembro de 2008


Chuva intensa provoca caos no dia, 20 de Outubro, em Lisboa.
Quarenta e cinco minutos de chuva torrencial e granizo foram suficientes para instalar o caos em Lisboa. Ruas alagadas, restaurantes com inundações, carros arrastados pela força da água e a estação do metro de Sete Rios obrigada a fechar portas deixaram a cidade intransitável, com filas de trânsito a entupir os acessos à capital no início da tarde.
Sete Rios, Alvalade, avenida de Roma, praça de Espanha, avenida 5 de Outubro, Campolide, avenida Almirante Reis foram as zonas mais afectadas pela chuva. Os túneis do Campo Grande e das avenidas João XXI e dos Estados Unidos da América também ficaram inundados durante várias horas, mas a situação mais grave aconteceu no Hospital de Santa Maria.
Os bombeiros responderam a 250 ocorrências, 200 das quais em habitações. Foram mobilizadas 32 viaturas e 106 homens do regimento de Sapadores Bombeiros.
O stand da Mercedes-Benz na rua de Campolide não escapou à enxurrada. A força da água destruiu computadores e secretárias e arrastou alguns carros. Um Mercedes Classe E foi projectado contra a montra, partindo-a.
A poucos metros, na estrada de Benfica, os três restaurantes que ficam num pequeno largo foram obrigados a encerrar as portas. A água atingiu quase dois metros de altura e causou elevados danos. "Em Fevereiro tive um prejuízo de 90 mil euros. Agora vai ser pior, está tudo destruído", lamenta Rui Gomes, proprietário do restaurante O Nortenho.

1 comentário:

Claudia disse...

Esta muito fixe Claudia N:4 T:A